:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Je me souviens

Eu te lembro que esta seção tem como dívida explícita o “Je me souviens” de Georges Perec, o livro de Geraldo Mayrink e Fernando Moreira Salles e a série “Ich erinnere mich” publicada no Die Zeit.


.:: mês anterior :: :: :: :: November 2003 :: :: :: :: próximo mês ::.

27 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro que com um DeLorean pode-se voltar no tempo, desde que você tenha instalado um capacitor de fluxo em 'Y'. E que você vai precisar de urânio enriquecido, lixo residencial ou um raio na hora certa. Lembro também que uma máquina a vapor pode ajudá-lo a atingir as 88Mph necessárias à viagem.

(Com a colaboração de uma menina de 20, mas que sabe das coisas)
15:34:05 - Mathieu - Comentar

Eu me lembro – Natal, bailes e aparelhos

Eu me lembro que os enfeites da árvore de natal quebravam. E que isso era motivo de stress familiar. E que havia umas pastilhas colocadas na base dos soquetes para fazer as lâmpadas da árvore piscarem. E que no primeiro baile que eu e uns amigos "produzimos", usamos essas mesmas lâmpadas de natal pra dar um clima. [Leia mais!]
08:41:29 - Zeno - 1 comentário

26 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro do dia em que instalaram o primeiro bungee jump na cidade de São Paulo. Ficava no estacionamento de um shopping center e que quando estava pra entrar na fila, olhei pra barriga da minha mulher grávida e desisti da idéia.
01:32:00 - Sorel - Comentar

25 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro de ver o incêndio do Joelma pela TV, das pessoas se jogando do alto do edifício e de não ter consciência do horror que aquilo tudo significava. Quase 20 anos depois trabalhei com um dos sobreviventes e nunca tive coragem de falar com ele sobre o assunto.
01:21:00 - Sorel - 1 comentário

Eu me lembro

Eu me lembro de um amigo que encarou uma noitada de bebedeira profissa numa pastelaria (sic) e depois vomitou tudo na fachada de vidro de uma agência de banco que acabara de falir por aqueles tempos. O troço ficou grudado lá durante anos (massa falida, sabe como é) e sempre que a gente passava em frente dava uma sensação de orgulho secreto – we few, we happy few, we band of puking brothers.
01:18:31 - Zeno - 2 comentários

24 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro de um Palmeiras e Corinthians, dois a zero pro Verdão com o Jorge Mendonça fazendo dois gols iguaizinhos de falta no Jairo, o pirulão desengonçado que era goleiro do Corinthians. Vi tudo isso sentado no meio da torcida do Corinthians, sem poder gritar ou comemorar. Perto do fim do jogo, num lance sem importância na lateral, acabei me entusiasmando e gritei “Vai, Pedrinho!”, que era o lateral-esquerdo do Palmeiras. Mais rápido que o intervalo entre um sinal verde e uma buzinada, começo a escutar “Vai, Pedrinho??”, “Como assim, vai, Pedrinho?”, “Pedrinho???”, “Porra, tem um palmeirense aqui no meio, gente!!!!”. Tomei um bagaço de laranja na cabeça e alguns amendoinzinhos, e todo mundo se deu por satisfeito, inclusive eu. Mudou o futebol ou mudaram os bons costumes?

(dedicado a Álvaro P., corintiano de boa cepa)
23:43:27 - Zeno - 19 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro da festa do meu aniversário de 6 anos, que chovia muito e que não foi ninguém, só o Karel, meu vizinho do lado, que não era de açúcar e que também achou um absurdo as pessoas terem medo de se molhar.
01:15:00 - Sorel - 1 comentário

Eu me lembro

Eu me lembro do comício da Praça da Sé, de políticos, metalúrgicos e artistas no palanque e um povão ocupando as praças e ruas da região. Lembro da Fafá de Belém cantando o Hino Nacional e que a gente achou aquilo lindo e até chorou no final. Lembro de acompanhar a votação da emenda Dante de Oliveira e de também chorar no final. Os céticos venceram, mas nós nos divertimos muito mais.
01:10:00 - Sorel - 5 comentários

23 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro que na década de 70 ainda existia pena de morte na Inglaterra e era por enforcamento. Lembro que conheci o filho de um carcereiro que contava que, diferentes dos americanos que faziam a maior cera, os ingleses se orgulhavam de que entre entrar na cela, colocar o capuz, a corda no pescoço e abrir o cadafalso - que ficava atrás da cela - não se gastava mais do que 3 minutos e que só demorava mais se o detento tentasse ajudar.
12:26:00 - Sorel - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro de fazer pic-nic na beira da via Anhangüera. Meu pai dirigia devagar e eu e meus irmãos íamos olhando pela janela escolhendo lugares para comer. Eu também me lembro que não adiantava nada e que a gente sempre parava onde minha mãe queria.
01:04:00 - Sorel - Comentar

22 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro quando lançaram a TV colorida, o relógio digital, o videocassete, o walkman, o computador pessoal, a secretária eletrônica, o CD, o fax, o laserdisc, o forno de microondas e a máquina de lavar louça. Pelo menos eu não me lembro quando lançaram a eletricidade.
11:37:00 - Sorel - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro de Emma Bovary, de Catherine Deneuve na Bela da Tarde e de que existem sim mulheres como Gilda.
01:02:36 - Sorel - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro quando li Amor de Perdição, do Camilo Castelo Branco. O mocinho definhava de amor por sua amada, ficava verde, adoecia, morria. Lembro também que quando dizem que o amor foi inventado por Hollywood eu esqueço de falar do Camilo.
00:58:42 - Sorel - Comentar

20 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro de cortar o cabelo no mesmo lugar por vinte anos. E que fui acompanhando a calvície do meu barbeiro ao longo desse tempo todo, e ele, a minha - mas ninguém falava nada. Só um barbeiro de poucas palavras entende a gente.
12:45:17 - Zeno - 2 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro de um amigo que cismou, uma época, que iria aprender a assobiar os 6m57s de Mr. P. C., do John Coltrane, de ponta a ponta. Incluindo aquele solo esquisito de bateria, perto do final. E que ele queria botar isso como trilha sonora de um curta-metragem.
12:44:04 - Zeno - Comentar

19 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro, mais ou menos, de uma piada de português num avião que dizia que o PUSH não era pra puxar, e sim empurrar, que o PULL não era pra pular, e sim puxar, e que em caso de queda da aeronave o EXIT não era pra hesitar, e sim pular.
12:55:14 - Zeno - 3 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro de passar várias noites de sexta-feira em frente da TV, à espera: cedo ou tarde um peitinho da Vera Fischer ou da Aldine Muller pulava pra fora do vestido num dos filmes da Sala Especial.

(em homenagem a Alcione Mazzeo)
12:50:59 - Zeno - 5 comentários

15 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro que adorava brincar de forte apache com meu tio mais novo e meu irmão. Montávamos o brinquedo no quintal de terra lá em casa - era no interior -, embaixo de uma mangueira, e ficávamos a tarde inteira matando índios e gritando enlameados. No final, o banho era a melhor parte, e ver aquela água suja escorrendo pelo ralo...

(TM, direto do oeste paulista)
17:54:04 - Mathieu - 3 comentários

14 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro que as aftas ardiam e doíam, que se aqui nevasse você usava esqui e que o A tinha som de U.
07:11:00 - sattin - Comentar

13 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro da “sardinha”, praticada à farta durante o recreio, no pátio da escola: juntava-se o indicador e o médio, estalando-os nas partes pudendas das pessoas. E que isso era divertido.
08:47:00 - sattin - Comentar

12 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro quando ganhei meu primeiro relógio, que era um que meu pai não usava mais, que ele colocou uma pulseira nova e que eu me sentia melhor do que antes.
15:34:25 - HZeno - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro que se dizia, em dias com vento, que havia morrido um padre, e, em dias de muito vento, “ah, hoje morreu um bispo”. E que a gente limpava a casa só por onde o padre passava. E que se alguma coisa fosse feita nas coxas, era só pra inglês ver. E que juntando as duas últimas, tínhamos, por exemplo, um faxina de casa feita só pra bispo anglicano.
10:31:07 - Zeno - 1 comentário

11 Novembro

Eu me lembro

Do forte apache, dos índios e cowboys, das montanhas de travesseiro, das planícies acarpetadas. Uma guerra interminável.
11:21:56 - bandini - 3 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro de receber telegramas, muitos telegramas no dia do meu aniversário: "Amiga, não mude jamais. Felicidades sempre". E ontem ainda minha sobrinha de 13 anos me perguntou: "Tia, como chama aquilo mesmo que fala pouco e chega logo?? Ah é, telegrama!!"

(Contribuição de Tia Maroca, direto da estrela do noroeste paulista)
09:57:30 - Zeno - 2 comentários

10 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro do 'Gonha mó breu', pichação que mereceu matéria na Veja pelo seu ineditismo, e que foi traduzida por um 'especialista' chamado pela revista como '"Maconha é o maior barato". Também me lembro do sujeito que fazia as tais pichações, que ele tinha 14 anos, que era meu amigão, que nunca tinha fumado maconha e que seu apelido era Gonha porque andava como uma (Ce)gonha. E também me lembro que foi a Veja que me ensinou que não se deve acreditar em uma só linha do que sai na mídia e em uma só palavra pronunciada por qualquer especialista.
14:10:52 - Zeno - 32 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro que jantar com amigos é um prazer que eu espero não esquecer de novo.
12:03:59 - Zeno - 1 comentário

Eu me lembro

Eu me lembro de quando fui ao parque com meu pai e minha mãe e vi que, depois de 45 anos de casados, eles ainda caminhavam de mãos dadas. E isso me (nos) lembra que não sei a diferença entre ser piegas e ser sincero com minhas emoções. Viu? Aconteceu de novo.
11:49:59 - Zeno - 2 comentários

07 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro do Cão Fila Km 26.
18:51:29 - Zeno - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro de um longo período em que não havia jantar em casa, pois minha mãe chegava tarde do trabalho e não tinha tempo de preparar nada. De tanto encomendar pizza, virei chapa do entregador, com direito a envio mútuo de cartão de natal no fim do ano. Certa vez, ao pedir pizza na casa de um amigo, abro a porta para receber a entrega e vejo o entregador com uma cara espantadíssima no portão: “Você mudou?”.
01:00:00 - sattin - Comentar

06 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro do Kunta Kintê.
14:42:10 - Zeno - 5 comentários

05 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro que era sempre necessário levar o vasilhame para comprar bebida. E que o pai do Geraldão dos quadrinhos justificou assim seu sumiço de mais de vinte anos: “Saí pra comprar Coca com vasilhame de Pepsi”.
12:33:34 - Zeno - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro de que todo garoto queria uma roupa de John Travolta para brilhar nos bailes de sábado à noite e nas domingueiras. Um amigo felizardo, de pais mais compreensivos, ganhou a sua e foi à luta. Ao chegar ao baile, resolveu fazer um “aquecimento”, alguns “passos” em frente a um espelho gigantesco, na área entre as duas escadas em caracol que levavam ao salão principal. As pessoas se sentavam nos degraus e jogavam moedinhas para ele.
08:45:00 - sattin - Comentar

04 Novembro

Eu me lembro

Eu me lembro de um amigo que gravou os diálogos do Casablanca em fita cassete, para poder ouvir no carro e perturbar a professora do curso de inglês que freqüentava: “Teacher, a senhora não acha que numa situação dessas a melhor coisa a fazer é round up the usual suspects?”.
13:46:00 - sattin - Comentar

03 Novembro

Eu me lembro

Aliás, eu me lembro de um diálogo entre a esposa de Al Bundy e o próprio, no seriado “Married With Children” (“Um Amor de Família”, no Brasil):
-Minha mãe ligou para dizer que já está recuperada e que vai ter alta do hospital hoje.
-Meu Deus, você já avisou Tokyo?
20:45:00 - sattin - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro de um desenho animado japonês, “Guzula”, que emprestou o nome para uma série de meninas feias no ginásio. O personagem-título era um monstro boa-praça que aterrorizava sem querer uma daquelas cidades surreais japonesas.
20:44:00 - sattin - Comentar

.:: mês anterior :: :: :: :: November 2003 :: :: :: :: próximo mês ::.