:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Je me souviens

Eu te lembro que esta seção tem como dívida explícita o “Je me souviens” de Georges Perec, o livro de Geraldo Mayrink e Fernando Moreira Salles e a série “Ich erinnere mich” publicada no Die Zeit.


.:: mês anterior :: :: :: :: March 2004 :: :: :: :: próximo mês ::.

26 Março

Eu me lembro

Eu me lembro – quem não? – de querer montar uma banda nos tempos da faculdade. A nossa tinha por slogans "A primeira banda de rock progressista da história" e "A terceira melhor banda do Departamento", epíteto que teve de ser mudado para "A quarta melhor..." depois que uns outros amigos montaram a deles. Como ninguém sabia tocar instrumento algum (eu sei, isso nunca impediu nenhuma banda antes), a nossa tinha uma formação, hã, peculiar: oito vocalistas e um cara que sabia dois acordes no violão, apenas um a menos que a média nacional apontada pelo IBGE. O repertório, de covers, claro, incluía "Vou me afundar na lingerie", do Arnaldo Baptista, uma versão a capella de "Monoquíni", do Roberto Carlos (depois substituída por uma versão em alemão da mesma música), "El justiceiro", dos Mutantes, com pretensões pré-Mercosul de união dos povos latinos, e "Pierrot Lunaire", do Schoenberg, numa tocada meio partido alto, meio samba de roda. Como sempre acontece em situações assim, a banda se dissolveu antes do estrelato por divergências artísticas, uns defendendo o comercialismo deslavado do Schoenberg, outros a integridade impoluta do Moço de Cachoeiro. Além disso, houve disputas também na hora das primeiras fotos: quem iria ficar na frente, como seria o pôster de divulgação, essas coisas. Foi uma pena. Não para a música brasileira, é evidente. Mas as jovens tardes, noites e altas madrugadas de sábado ficaram sensivelmente menos divertidas.
11:16:27 - Zeno - Comentar

22 Março

Eu me lembro

Eu me lembro do citadíssimo final da segunda parte do Fausto, "O eterno-feminino nos eleva" ("Das Ewig-Weibliche zieht uns hinan"), que, numa versão mais direta e cafajeste, daria algo como "As mulheres nos deixam de pau duro".

(da série "O Olímpico e eu")
11:30:06 - Zeno - 6 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro de uns versos definitivos do Goethe: "Sei que nada me pertence / a não ser o pensamento que, livre, / quer sair de minh’alma, / e cada momento amigável, / que um destino afetuoso / me deixa fruir inteiramente".

(da série “O Olímpico e eu”)

para uma tradução profissa, clique aqui: [Leia mais!]
11:25:03 - Zeno - Comentar

21 Março

Eu me lembro

Eu me lembro de uma frase bola-pra-frente do Goethe: "tenho de reconhecer que a sorte é minha amante".

(da série “O Olímpico e eu”)
08:39:27 - Zeno - Comentar

19 Março

Eu me lembro

Eu me lembro de uma frase seicho-no-ie do Goethe: "onde estiver, seja tudo".

(da série “O Olímpico e eu”)

11:36:02 - Zeno - 2 comentários

18 Março

Eu me lembro

Eu me lembro de uma frase desanimadora do Goethe: "o melhor já é suficiente".

(da série "O Olímpico e eu")
18:31:16 - Zeno - 2 comentários

15 Março

Eu me lembro

Eu me lembro que as fotos de mulheres nuas em que aparecessem pêlos pubianos só foram liberadas no Brasil em abril de 1980. Lembro também que a primeira revista que comprei com fotos assim era uma "Homem", com uma bunda morena magnífica que reluzia na capa e uma legenda em preto e amarelo: "Sem censura!".
18:16:01 - hubbell - 3 comentários

14 Março

eu tamémbro

do holiday o'nice,
do correspondente/e
delicioso berioshka,
e do divertidíssimo
harlemglobetrotters.
e quem quisese
q. corresse
'ss
's
'
atrásprávê
comerabom
(e moderno, ó só)
aquelas mãosbraçospeitos
pernas todas.

'indabem q. alguém
avisavaquarqéraquar
bumbum
dobem
demadeiracarneogelo
01:51:13 - John Self - 8 comentários

12 Março

Eu me lembro

Eu me lembro que só havia três tipos de xampu no supermercado, para cabelos secos, normais e oleosos. E que o atual condicionador era chamado de creme rinse. E que eu nunca soube que tipo de cabelo eu tinha e nem se devia usar o tal creme rinse.
16:25:35 - Zeno - 3 comentários

10 Março

Eu me lembro

Eu me lembro da paciência imensa de um professor no colegial, ouvindo pela enésima vez o bordão engagé que eu costumava usar em situações de entusiasmo juvenil e/ou petição de princípios ideológica: "Eu nasci antes do Golpe! Eu nasci antes do Golpe!". Por um desses mistérios que só o cultivo paciente das chamadas "coisas do espírito" proporciona, até hoje ele é meu amigo.
08:24:00 - Zeno - Comentar

06 Março

Eu me lembro

Eu me lembro da namorada de um amigo em Hamburgo que ganhava a vida fazendo prognósticos sobre as movimentações da Bolsa de Valores de Frankfurt baseados em I-Ching, Tarô e mediunidade. Seus índices de acerto eram por volta dos 80%, e ela tinha como clientes três ou quatro bancos e várias casas financeiras.

(da série "Europa, Terra de Contrastes", ou "Se hoje é terça, então isso aqui deve ser a Bélgica")
09:34:36 - Zeno - Comentar

03 Março

Eu me lembro

Eu me lembro do Código de Hamurábi.
07:47:00 - hubbell - 2 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: March 2004 :: :: :: :: próximo mês ::.