:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Je me souviens

Eu te lembro que esta seção tem como dívida explícita o “Je me souviens” de Georges Perec, o livro de Geraldo Mayrink e Fernando Moreira Salles e a série “Ich erinnere mich” publicada no Die Zeit.


.:: mês anterior :: :: :: :: April 2004 :: :: :: :: próximo mês ::.

30 Abril

Eu me lembro

E por falar em Juarez Soares, eu me lembro que ele, antes de ficar conhecido como Le Rouge, teve sua fase parmenidiana amplamente conhecida, graças à popularização, em sua boca, do mote "Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa". Como lembra a amiga blogueira Maristela no comentário do post abaixo, Luciano do Valle, contaminado pela proximidade física com o parmenidiano em questão, soltou também uma variante condensada do marco da filosofia ocidental que é o "O ser é, e o não-ser não é": ao dizer, sobre uma jogada magistral de Platini, "Se entrar, é gol!", Luciano nada mais fez do que apresentar aos pobres e incultos telespectadores a conclusão de um raciocínio disjuntivo sofisticadíssimo, de tipo "S implica P", ou "Se S, então P", que desmembramos aqui: "Se a bola cruza a linha branca abaixo das três traves (S), então se configura o gol (P); se ela não cruza (não-S), então não é gol (não-P). A bola cruzou (S); logo, é gol (P)". E tudo isso numa transmissão televisiva num domingo de manhã. Não é pra qualquer um.
13:27:35 - Zeno - 5 comentários

Eu me lembro

Aproveitando o gancho do post abaixo, eu me lembro de uma frase wittgensteiniana do Luciano do Valle, numa transmissão futebolística dos tempos em que ele era acompanhado por alguns dos principais filósofos do Círculo de Viena, como Ely Stuart Mill Coimbra, Juarez Le Rouge Soares e Elia Thaumazein Júnior. Perto do fim da partida, depois de uma jogada meio duvidosa que dava margem a interpretações (e contestações) de ambos os lados, Luciano solta o aforisma: "Às vezes os fatos desmentem a realidade".
12:51:53 - Zeno - 2 comentários

22 Abril

Eu me lembro

Eu me lembro de uma história de perspicácia infantil. O amigo X, recém-separado de Y, vai visitar o casal de amigos A e B, que tem um filhinho de 5 anos, C. X toca a campainha, C corre para abrir e grita "É o titio X e a titia Y!!". A mãe, do quarto, alerta: "Não, é o titio X com a nova titia Z". O pai, da cozinha, grita mais alto: "Não, não, Z já foi, é o titio X com sua nova titia W". X, sozinho no corredor, do lado de fora, escuta o diálogo familiar e acha graça na confusão. C abre a porta, olha com desprezo e recriminação para X, vira as costas e entra novamente no apartamento.

(do nosso enviado especial e memorioso ao Rio de Janeiro)
16:07:51 - Zeno - 2 comentários

18 Abril

Eu me lembro

Eu me lembro do seqüestro do Aldo Moro. E me lembro também que, anos depois, isso virou sinônimo de notícia velha: quando alguém chegava contando alguma história ou notícia sabidas por todo mundo, uma outra pessoa respondia: “Sério? É verdade? E você viu também que seqüestraram o Aldo Moro?”.
09:49:53 - hubbell - Comentar

12 Abril

Eu me lembro

Eu me lembro do que o finado Chico Science dizia: "Um passo à frente e você não está mais no mesmo lugar".
12:52:29 - Zeno - Comentar

04 Abril

eu me lembro, mais ou menos

eu me lembro duma pândega, de qdo a gente ainda praticava esportes aéreos, decorando os céus quais esquadrilhas da fumaça, numa autêntica vanguarda do mercosur:
'róliúdi aí um finister qu'eu quero curtinental'(...)
16:10:57 - John Self - 2 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: April 2004 :: :: :: :: próximo mês ::.