:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Je me souviens

Eu te lembro que esta seção tem como dívida explícita o “Je me souviens” de Georges Perec, o livro de Geraldo Mayrink e Fernando Moreira Salles e a série “Ich erinnere mich” publicada no Die Zeit.


.:: mês anterior :: :: :: :: January 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.

07 Janeiro

Eu me lembro

Eu me lembro que em Lübeck, terral natal do Thomas Mann e do melhor marzipã do mundo, não havia um edifício público ou museu dedicado a ele ou ao irmão Heinrich. A casa onde ele havia morado com a família, retratada em seu romance Buddenbrooks, era ocupada por um escritório de advogados ímpios e sensaborões. Anos depois, soube que a vergonha bateu à porta da prefeitura e a casa foi transformada em museu, hoje graciosamente acessível num clique: www.buddenbrookhaus.de

(da série “O Mago e eu”)

(para mais Thomas Mann, veja aqui, aqui e aqui)
07:02:00 - Zeno -

.:: mês anterior :: :: :: :: January 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.