:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Editoriais

Estamos sempre mudando de opinião.


.:: mês anterior :: :: :: :: December 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.

31 Dezembro

Grandes Verdades da Humanidade: 2006 virá depois de 2005

São 23:59, graças ao extraordinário recurso de pré-programação de posts, e com isso podemos pedir licença temporária à nossa audiência para deixar aqui, nesta passagem de ano, um texto de agradecimento aos canalhas redatores que fizeram do Hipopótamo Zeno, ao longo de 2005, o que ele é hoje: um quase-nada sentimental que disfarça seu bom-mocismo com doses generosas de ironia, canalhice e – o que é melhor – com todas as parcelas do crediário pagas.

Ao dulcíssimo Sorel, que criou a bagaça toda e que anda trabalhando em jornadas triplas de procrastinação (dizem as más línguas que ele até criou um outro blog, onde escreve diariamente – aguarde, meu caro, a invasão das Viúvas Do Zeno na caixa de comentários).

Ao incansável Pinto, que carrega o blog nas costas e em outras partes do corpo menos publicáveis. Você pode não gostar dele, mas sua filha gosta.

Ao Mestre John Self, que sequer desconfia de seu papel de farol: mora em lugar ermo, tá sempre paradão e só funciona depois do entardecer.

Ao DJ Mandacaru, nossa recente contratação, que pôde soprar uns bemóis ilustrados em nossas orelhas incultas.

Ao sumido Hunter, que deixa recados ininteligíveis no celular às seis da manhã e continua fazendo falta, muita falta, no mundo dito presencial.

Ao Bandini, que só dá as caras aqui de seis em seis meses, mas carrega o pecado adâmico de ter instalado os softwares irresponsáveis pelo funcionamento do blog e de ser nosso guru hacker.

Ao polivalente Hubbell, incansável livrador de encrencas domésticas e grande animador de festinhas infantis.

E, licença acima retirada, agradecimentos também sentimentais aos nossos persistentes leitores – acontece que essa lua, esse conhaque botam a gente comovido como o diabo.
23:59:00 - Zeno - 7 comentários

24 Dezembro

Ho ho ho

Tempos natalinos pedem corações abertos: é impossível ouvir Clair de Lune, do Debussy, e não se sentir um sujeito melhor durante 4 minutos e 53 segundos, como uma promessa de reconciliação de nossas vidinhas comezinhas com algo que as transcende e embeleza sem ser inacessível (um amor, o prêmio da megasena, duas semanas nas Maldivas, um copo d'água com gás depois do banho). Fica, então, registrada a dica musical do blog para embalar um Feliz Natal aos nossos leitores, amigos, conhecidos, futuros patrocinadores e mecenas distraídos, com a presença, à mesa, de todas as conquistas genéticas da moderna ciência culinária brasileira e mundial. E que nossos fígados permitam nos próximos dias que celebremos olimpicamente o Ano Novo, se não por nada, para pelo menos jemesouviar o antigo slogan do Vinho Natal, "Se você chegar até o Ano Novo, parabéns!".
00:40:34 - Zeno - 4 comentários

02 Dezembro

Nosso japonês é mais aniversariante que os outros

The late Mr. Miyagi

Julien Sorel, jóia da colônia nipo-italiana (ítalo-nipônica?) de SP, indisfarçável technorati, pai e mantenedor deste blogue e, último e não menos importante, publicitário enrustido, completa hoje mais uma primavera —já são quase 60!— e posa para um registro com a expressão expansiva que lhe é característica.

Os membros todos da redação do Hipopótamo Zeno e seus ocasionais quatro visitantes pingados estão vibrantes com isso.
12:56:15 - Pinto - 10 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: December 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.