:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Je me souviens

Eu te lembro que esta seção tem como dívida explícita o “Je me souviens” de Georges Perec, o livro de Geraldo Mayrink e Fernando Moreira Salles e a série “Ich erinnere mich” publicada no Die Zeit.


.:: mês anterior :: :: :: :: July 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.

30 Julho

Duas ou três coisas que sei dele

Cansei, benhê!

Puxando assim pela memória, eu me lembro que o incansável cidadão aí da foto é primo do João "Teste de Fidelidade" Kléber. Até hoje tenho dificuldade em discernir qual dos dois é o humorista. Lembro que o apogeu de ambos coincidiu com o reinado de Fernando Collor. Kléber era amigo de estimação do homem e desperdiçava seu talento somente no circuito Casa da Dinda; Dória Jr., não: aos 26 anos, emprestava sua jovem expertise ao país na presidência de um órgão de turismo, salvo muito engano a Embratur. Foi dele —ainda se não me falha a memória de jornalista recém-ingresso no curso— a sagaz sugestão de incrementar a economia do Nordeste com levas de curiosos para conhecer in loco os "flagelados da seca", talvez confinados num parque temático qualquer, construído especificamente para tanto. Olha que chance desperdiçada. E que talento precoce para organizar eventos temáticos. E nem se sonhava em apagão aéreo na época. O pessoal se cansou do Collor, a proposta do nosso empreendedor de visão não foi levada a termo, o grosso do Nordeste perdeu o bonde do desenvolvimento, e ao contrário de Campos do Jordão, Comandatuba e outros locais mais aprazíveis, mingua desde então.

CNN News Update: No Nassif de hoje um perfil esclarecedor sobre o empresário do Cansei. Vai juntando as peças —"fazendo a Gestalt", como dizem as pepsicólogas— e vê só que figura linda que dá: Nizan Guanaes, Jesus Sangalo (irmão da Ivete), Alencar Burti, Luiz Flávio "Renascer" D'Urso, o engomadinho aí de cima...
20:00:33 - Pinto - 48 comentários

10 Julho

"Onde está a neve do ano passado?"

E essa história de que nevou em Buenos Aires pela primeira vez desde 1918 me lembrou daquele chiste da época do quebra-quebra financeiro do Menem: "Você sabe o que o argentino tem mais do que o brasileiro?", "Não", "Tem mais é que se fuder".
09:53:10 - Zeno - 3 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: July 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.