:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


.:: post anterior :: :: :: :: navegue pelos posts :: :: :: :: próximo post ::.

Titãs do ié, ié, ié

É com pesar que anunciamos o novo disco daqueles que já foram conhecidos como os Cabeça Dinossauro, os Sonífera Ilha, os Flores de plástico, os Oblésqueblom. Um triste fim para os roqueiros da nossa geração.

Reproduzo a primeira estrofe e refrão:

"Quando não houver saída/ Quando não houver mais solução/ Ainda há de haver saída/ Nenhuma idéia vale uma vida (*)/ Quando não houver esperança/ Quando não restar nem ilusão/ Ainda há de haver esperança/ Em cada um de nós, algo de uma criança

Enquanto houver sol, enquanto houver sol/ Ainda haverá/ Enquanto houver sol, enquanto houver sol"


Atente para as rimas saída/ vida, solução/ ilusão, esperança/ criança. Estou passado. É só tristeza e melancolia que não sai de mim, não sai de mim, não sai. E esta é a música de trabalho, ou seja, a que consideram de melhor apelo. Não vou escutar as outras. Eu me lembro do Radar Tan Tan, do Rose Bombom e do Circo da Augusta. Respeito minha memória.

Se quiser sofrer também, escute aqui. A seguir, a letra toda.

Enquanto houver sol (2003)
Sérgio Britto

Quando não houver saída
Quando não houver mais solução
Ainda há de haver saída
Nenhuma idéia vale uma vida (*)
Quando não houver esperança
Quando não restar nem ilusão
Ainda há de haver esperança
Em cada um de nós, algo de uma criança

Enquanto houver sol, enquanto houver sol
Ainda haverá
Enquanto houver sol, enquanto houver sol

Quando não houver caminho
Mesmo sem amor, sem direção
A sós ninguém está sozinho
É caminhando que se faz o caminho
Quando não houver desejo
Quando não restar nem mesmo dor
Ainda há de haver desejo
Em cada um de nós, aonde deus colocou

Enquanto houver sol, enquanto houver sol
Ainda haverá
Enquanto houver sol, enquanto houver sol


(*) Esta frase foi inspirada em André Malraux, "Uma vida não vale nada, mas nada vale uma vida".
posted at 11:40:51 on 25-11-2003 by Sorel - Category: Tectum Intuentes


Comentários

Crítico Musical wrote:

E eu me lembro do primeiro show do Barão Vermelho que vi: uma lona na praia, início dos anos oitenta, ninguém conhecia a banda. Comentei com as pessoas que estavam comigo: "Mas esse vocalista tem o maior jeitão de viado, né, não?". Resposta das meninas presentes: "Você tá é com inveja, porque ele é o maior gato!"
25-11-2003 14:40:38

pôla wrote:

é.
a tal da geração 80 -vcs. já repararam como são parecidos todos?- foi uma interessante demonstração do sucesso dos planos dos milicos (militar+mico) de 'embregação' da cultura brasileira.
e só dos q. deram certo, mesmo que por acaso.
iscrusive, uma boa pruma mesa redonda de bar é vc. virar e soltar: "compare umas letras do gil aos 28 c/ uma dos tituns na mesma idade..."
e aí observem atentamente as reações a seguir.
25-11-2003 16:12:21

pôla wrote:

pelo silêncio, creio que magoei.
também dancei muito ao som de todos.
mas o carimbo "geração 80" é filho da "calça velha azul e desbotada" que a mírdia insistiu até conseguir enfiar goela abaixo.
tudo pelo controle do social.
o que pegava era que havia muito mais do que a trinca "neoexpressinismolírico (sic)-brrock-naturebaescapismo.
mas a luz se fez na "grande tela" da s.leirner. ali a turma teve que acordar.

e as meninas, ai meninas, santa e doce ingenuidade...
27-11-2003 14:23:27

Mathieu wrote:

Caro Oliver-Pôla-Stone,

Culpar os milicos pela new wave, pelos cabelos pintados, sapatos de verniz, ropas coloridas, paletós com ombreiras e cabelos mulletizados não é exagero de vossa parte? Não que não me encante em culpá-los por qualquer coisa que nos venha a mente, mas justiça seja feita, eles se vestiam muito melhor. E o corte de cabelo, nem se fala.
27-11-2003 15:01:25

pôla wrote:

certamente. e os cortes dos ternos eram semiimpecàveis.
aliás, impecável era colado no tergal, não?
eu ia me lembrar mas estou na secção errada.
e comn dredos drenmais.
hasta...
28-11-2003 03:41:30

Zeno wrote:

A direção do blog manda avisar que esta discussão sobre os descaminhos do rock nacional e quejandos merece um post à parte, na página principal, que será brevemente colocado. Grato. Volte sempre. Obrigado pela persistência. Muita sorte nesse novo desafio. Com as pedras que me atiram, hei de construir etc.
01-12-2003 08:15:16


Incluir comentário

Este post está fechado. Não é possível adicionar novos comentários a ele ou votá-lo