:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


.:: post anterior :: :: :: :: navegue pelos posts :: :: :: :: próximo post ::.

Minieditorial 26,5% Marxista

Este blog nasceu do fascínio peculiar exercido pelas diversas formas de canalhice, principalmente as nascidas em letra de fôrma e que se espalham depois em mesas de bar e demais discussões lítero-existenciais. A lista de padroeiros é longa, mas é puxada por Brás Cubas, Zeno Cosini e os três Patetas de Paulo Emílio Salles Gomes. Um setor relevante da boa crítica literária nacional tem tais personagens em alta conta, já que neles, e em particular em sua ironia e obtusidade (entendidas como "desfaçatez de classe"), se espelhariam os desmandos da dominação expropriadora em sua nudeza e crueza.

Nossa modesta objeção considera que tais análises transformam as obras e os personagens em ocasião (privilegiada, é verdade) para se entender outra coisa que não eles mesmos, desde o funcionamento do capitalismo escravista brasileiro do final do XIX até a condenação moralista das iniqüidades contemporâneas inerentes às economias pós-fordistas.

Nada parecido será intentado aqui. O fôlego sendo curto e a disciplina, pouca, contentamo-nos com a pura exposição destes momentos privilegiados, certos de que neles já se trombam, assim sem querer e meio desavisadamente, o particular das esquisitices de cada um com o universal abundante da velhacaria nacional e transatlântica.

(Quanto às forças de produção, é forçoso reconhecer que permanecem ocultas ou subentendidas, que ninguém é bobo de botá-las na pasta Itens Excluídos).

* * *

O blog contém algumas categorias ou seções, que serão criadas e organizadas conforme a famigerada "disponibilidade de tempo". Ou seja, é provável que boa parte nem se transforme em pixels. Algumas delas:

-Jornal Velho, com trechos e notas relevantes da vilipendiada imprensa nacional das últimas duas décadas, salvos do oblívio graças aos nossos arquivos pessoais.

-Lixo da Internet, com as piadas, textos e correntes de Santo Antônio que mereceram escapar, segundo nossa modesta opinião, da fúria compreensível do Delete.

-A Busca do Graal, com as incursões etílicas que não poupam esforços para determinar a exata localização do Bar Absoluto.

-Bytes Mal-Traçados, gaveta de textos mais ou menos inéditos com alguma pretensão teórica ou literária.

-Je me souviens, porque recordar é viver.

-Zenices e Bordoadas, com os ditos e frases de nosso Padroeiro Zeno Cosini acrescidos de pensamentos de igual verve e quilate vindos de procedência vária.

-Filmes Esquisitos, título auto-explicativo.

-Tectum Intuentes, para os momentos de ociosidade produtiva.


(Obs.: crédito a Claude Chabrol pela percentagem)
posted at 11:01:34 on 04-11-2003 by Zeno - Category: Editoriais


Comentários

Sem comentários


Incluir comentário

Este post está fechado. Não é possível adicionar novos comentários a ele ou votá-lo