:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


.:: post anterior :: :: :: :: navegue pelos posts :: :: :: :: próximo post ::.

Açaí, guardiã, zum de besouro, um ímã

Estimado Zeno, dileto Sorel, querido Mandaca,
Meus caros e meus ácaros,

Dá pena tirar a foto dessa moça do topo do blogue, mas a vida tem que continuar. Passo aqui muito breve apenas para dizer que tenho violado constantemente a regra do duplo amido nas refeições. Não posso fazer nada se as farinhas do local são tão indescritíveis e ubíquas.

A propósito, logo mais testo uma tapioca que comprei para pôr no açaí fresquinho que vende aqui do lado. Não darei notícia se: 1) tiver morrido de azia ou 2) o fruto for proveniente da região de Santarém, onde há um surto de Chagas transmitido justamente dessa forma.

Por conta desses e de outros excessos —limitei minha ingestão de proteínas ao filhote, o delicioso peixe que nem parece de água doce— é que preciso controlar o apetite, do contrário retornarei a SP mais gordo que o torresminho da feijoada de sábado, do qual, aliás, me recordo até agora.

Ainda não consegui comprar os CDs do Pinduca, ainda aguardo as artes do nosso DJ. Porém está prometida para amanhã uma visita à casa do ídolo, com direito a autógrafo e foto. Prometo publicá-la.

Sobre o hotel, esqueci de dizer o principal: funciona dentro um consultório de psicologia. A decoração segue idêntica. Não me perguntem as posíveis associações. Não sei se a consulta está incluída na diária. Deu vontade. Iria lá à procura de respostas para duas questões fundamentais: 1) por que me hospedei aqui? e 2) quem decorou este lugar?

O calor de hoje derreteu o asfalto, que pelo visto evaporou e deixou o céu do mesmo tom preto-betume. Vem um toró inenarrável por aí. Deixem-me ir conferir o açaí antes, porque pode ser o dilúvio universal, a gente nunca sabe, e eu comprei um litro da gororoba, não vou querer desperdiçar.

Recomendem-me a todos. Volto qualquer hora depois da chuva, ou assim que Noé abrir a portinha da arca.

Vosso,

Pinto.
posted at 16:30:00 on 01-08-2006 by Pinto - Category: Tectum Intuentes


Comentários

Pedro wrote:

Falando em Chagas, por onde anda o Walmor?
01-08-2006 16:31:43

Sorelnavegante wrote:

A gente viaja aqui pra esquina e já fica sentimental...
01-08-2006 19:38:01


Incluir comentário

Este post está fechado. Não é possível adicionar novos comentários a ele ou votá-lo