:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


.:: post anterior :: :: :: :: navegue pelos posts :: :: :: :: próximo post ::.

A volta dos que não foram

Eu me lembro, garoto ainda, de uma gozação favorita que pais, tios e demais adultos gostavam de impingir às crianças: perguntar a opinião delas sobre filmes supostamente famosos, se tinham visto, o que tinham achado, se eram bons mesmo, etc. Lembro de três pegadinhas dessas, “Poeira em alto mar”, “As tranças de um careca” e o que dá nome a este post, mas tenho certeza de que havia mais. De qualquer modo, resolvi voltar a colaborar neste prestigioso espaço internético pelas razões que se seguem:

-- para confirmar o veredito de um ex-blogueiro famoso, atual twitteiro de sucesso, que dizia ser impossível a um verdadeiro blogueiro negar sua própria essência bloguística;

-- por não ver, seja em veículo impresso ou em bits, nenhuma análise séria que mostrasse as reais ligações entre a ascensão de Dilma Rousseff e a queda de Muricy Ramalho do comando do Palmeiras;

-- por não ver, igualmente, ninguém fazendo a conexão óbvia entre a futura captação de 51 bilhões de dólares pela Petrobrás e as recentes declarações de Luiz Gonzaga Belluzzo sobre o futuro da agremiação palestrina;

-- por perceber que são poucos os comentadores atentos dispostos a admitir que o destino do país, sua inserção mundial pós-Copenhagen, a correta avaliação do impacto do pré-sal e demais questões deste novo milênio verde-amarelo estão em estreita dependência da trajetória tortuosa, imprevisível e no entanto fascinante do time alviverde da Rua Turiassu;

-- enfim, para que eu pudesse ter, a cada dois ou três dias, algo agradável e divertido de se ler na internet, além das colunas do Luis Nassif e do Reinaldo Azevedo.

Abraços e beijos,
Zeno Cosini
P.S.: Aproveito também para desmentir boatos de que eu teria me transferido para a Grande Mídia, desde o final do ano passado, mediante soma vultosa. O dinheiro era mixo, mas eu aceitei mesmo assim.

posted at 11:14:28 on 25-02-2010 by Zeno - Category: Editoriais


Comentários

Pinto wrote:

Certas categorias espistemológicas são imutáveis. Lembram quando Zeno disse que não era mais gay? Então.
25-02-2010 11:21:55

p.aral wrote:

Ninguém pode negar.

Aí sim. Viva.
25-02-2010 11:22:18

Cam Seslaf wrote:

E olha que ONTEM mesmo comensais do Lika discutiam seu paradeiro!
:D
25-02-2010 11:47:01

Franciel Cruz Credo wrote:

Eu tava aqui igual a Juscelino Barbacena, escondido para ninguém me achar, mas já que Zeno voltou eu retornarei logo atrás dele.
25-02-2010 13:34:05

Franciel Cruz Credo wrote:

Afinal, o referido é muito sabido. E atrás dele eu sou um jumento.
25-02-2010 13:34:53

g. baiadosporcos wrote:

"é a menor porção de caráter que já testemunhei na rede, nem cheney chegou a tanto."
depoimento colhido por um passante nos subsólidos da alta paulista.
25-02-2010 23:36:34

Zeno, O Espírito que Não Acumula wrote:

Saudamos intumescidos a volta de Franciel aos commentários. Daqui a pouco ele, com caráter menor que o nosso, volta a blogar.

A humanidade teme.
26-02-2010 08:21:54

Calasan wrote:

Mas tava mesmo faltando algo entre o suco gástrico do Pinto e a bili do G.
26-02-2010 20:53:27

Gisele wrote:

O bonitão-mor voltou.
Ai, que bão.
28-02-2010 16:59:29

captcha wrote:

agora só que vi! oba!!!
18-03-2010 23:24:43


Incluir comentário

Este post está fechado. Não é possível adicionar novos comentários a ele ou votá-lo