:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


.:: post anterior :: :: :: :: navegue pelos posts :: :: :: :: próximo post ::.

womana(ma)zing

"...E agora, na úmida Manhattan, na quente galeria onde todos cheiramos a cachorro molhado, ollho p/ Martina, que fita eretamente e sem a menor perda de atenção a forma de um toureiro morto, e penso


- ééé, mulheres, são muito diferentes de nós, quase tão diferentes quanto os franceses, digamos (as mulheres se inclinam de um lado p/ o outro qdo dirigem, e riem sobretudo por amizade, seguram as bebidas quentes c/ 2 mãos e abraçam a si mesmas p/ manterem o calor, desaprovam jogos e esportes, e dizem nossa muito mais vezes que nós, têm o que os homens chamam de autoconfiança e nos culpam por nos vermos presos nos seus sonhos, são teóricas da conspiração, benévolas ditadoras), mas são terráqueas, e muito parecidas conosco. As mulheres são mais civilizadas. As mulheres, elas são o sexo frágil. Podem aporrinhar a gente em casa mas não aporrinham na rua. Os homens são sempre exortados, pelas mulheres, a reconhecer o lado feminino de sua natureza. Eu sempre achei isso papo de veado, mas agora não tenho tanta certeza. ..."

essa passagem do 'grana', do martin amis, sempre me deixou feliz que só, pq. mais se comprova qto mais passa o tempo.
tanto do lado de cá qto do delás.
posted at 16:25:00 on 03-06-2012 by George Smiley - Category: Personagens


Comentários

Sem comentários


Incluir comentário

Este post está fechado. Não é possível adicionar novos comentários a ele ou votá-lo