:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


.:: post anterior :: :: :: :: navegue pelos posts :: :: :: :: próximo post ::.

Resenhistas do grand monde, uni-vos!

Para que não restem dúvidas sobre as intenções venais desse blog, relatamos a seguir história verídica: jantar a quatro no Antiquarius do Rio. Usamos a credencial de “resenhista de bares” para obter melhor atendimento no lugar. Recebemos graciosamente uma cópia do cardápio, que contém pérolas gastronômicas como Lombo de Bacalhau ao Queijo da Serra, Camarão Estufado à Moda de Macau e Cataplana de Lombo com Vieiras à Alentejana.

Agradecemos a gentileza do brinde e nos entregamos a uma refeição dos deuses, que tão cedo não será esquecida por nossas papilas gustativas. Passamos por cima do mau gosto das instalações, dos preços escritos à mão no mencionado cardápio, dos convivas embolorados das outras mesas, da conta que chega à mesa com os itens rabiscados em papeizinhos, pré-máquina registradora dessas moderninhas que discriminam todos os detalhes da refeição. Pois bem: a conta, tão delicadamente depositada diante de nós, atingiu os 500 reais sem que fossem oferecidas quaisquer outras benesses ou descontos por sermos “da imprensa”. Nossa carteirada não funcionou. Gostaríamos apenas de deixar bem claro: da próxima vez esperamos mais. Uma caixa de fósforos. Ou um chaveirinho. Um isqueiro bacana, com o nome do restaurante, e não se fala mais nisso.

(do nosso enviado especial ao Rio de Janeiro)
posted at 14:01:53 on 19-11-2003 by Zeno - Category: Zenices


Comentários

Sem comentários


Incluir comentário

Este post está fechado. Não é possível adicionar novos comentários a ele ou votá-lo